Homem suspeito de manter esposa e filhos trancados em casa em Salvador é preso mais de 3 meses após caso


    Homem suspeito de manter esposa e filhos trancados em casa foi preso em Salvador. — Foto: Reprodução / TV Bahia


O homem suspeito de manter a mulher e três filho em cárcere privado, no bairro do Calabar, em Salvador, foi preso na manhã desta segunda-feira, dia 01 de fevereiro de 2021, mais de três meses após o caso. Identificado como Fábio Renato Santos Lopes, o homem foi localizado próximo ao local onde manteve a família trancada.

Em outubro de 2020, a polícia descobriu que uma mulher e os três filhos, de 7, 9 e 15 anos, estavam há sete meses trancados em uma casa. Além da violência psicológica, a vítima sofria violência física por parte do suspeito.

De acordo com a titular da Delegacia da Mulher de Brotas, delegada Bianca Andrade, Fábio tinha mandado de prisão preventiva. Com a repercussão do crime, ele ficou foragido por um tempo, mas retornou para a mesma casa onde o cárcere ocorreu.

Ele foi levado para a Deam de Brotas para ser ouvido. Segundo a delegada, durante o depoimento, ele não demonstrou remorso ou arrependimento pelo crime. O homem foi preso após mandado de prisão preventiva contra ele.

     Mulher e os três filhos de 7, 9 e 15 anos, estavam há sete meses trancados em uma casa. — Foto: Reprodução / TV     Bahia





Vítimas resgatadas

Em outubro de 2020, policiais foram acionados para atender a uma ocorrência de invasão de propriedade de uma residência. De acordo com a denúncia, a família estava na casa invadida, na região do Calabar. Ao chegar no local, os policiais viram que a mulher e os três filhos viviam em cárcere privado. A casa não tinha acabamento e só possuía um cômodo, além do banheiro.

Segundo a capitã Aline Muniz, comandante da base Comunitária do Calabar, o casal foi morar na região em março de 2020. Desde então, a mulher não saía de casa. Os filhos do casal só podiam sair de casa para ir à escola, antes das aulas serem suspensas por causa da pandemia. O homem não permitia que as crianças deixassem o imóvel de um cômodo, nem para tomarem sol. A capitã Aline contou também que os vizinhos da família relataram que nunca tinham visto as crianças.

Após o resgate, a mulher foi encaminhada para a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) do bairro de Brotas, e levada para um local de acolhimento. Em depoimento, ela disse que não denunciou o homem com medo de sofrer represálias.

Fonte: G1 Bahia 

Postar um comentário

0 Comentários